Crônica: Minha Âncora

15 julho 2016

Olá docinhos, tudo bem com vocês?


  Eu nunca fui muito boa em seguir um tema com maestria, principalmente em um assunto que eu sou tão complicada em desenrolar. Mas, vamos a tentativa:

  No início, eu não sabia exatamente o que escrever, mas então as bochechas fofas e muito vermelhas dela me vieram a mente, dai eu percebi que tinha muito o que escrever.

  Quando nós duas éramos pequenas, bem pequenas mesmo, eu era uma pentelha na vida da minha prima, eu brincava pouco com minha irmã e passava os fins de semana na casa da minha avó. Isso fazia de mim uma criança carente de amigos, também deve ter sido porque sempre fui animada além da conta. Por isso, ela pedia para a mãe mentir e dizer que estava dormindo sempre que eu ligava chamando-a para brincar, talvez isso devesse ao fato de eu sempre querer pegar os ursinhos da Parmalat dela.

  Para ser bem sincera, eu não me lembro o que aconteceu primeiro, essa parte da minha vida parece um grande borrão do qual apenas algumas partes eu me lembro, mas, acredito que ela se mudou de Paranapiacaba antes de tudo acontecer, nas poucas vezes que eu a visitava, jogávamos Campo Minado e eu trapaceava espiando os barcos quando ela ia ao banheiro, mesmo assim, não éramos amigas, éramos primas.

  Quando a tragédia chegou na família, todos passaram a se preocupar comigo de repente, como eu me sentia, se eu precisava de algo, eu era quase o centro das atenções. Respondia com sorrisos e piadas, mas, na maior parte do tempo, ficava sentada olhando para a parede tendo consciência do grande vazio a minha volta.

  Eu também não me lembro como nos aproximamos pela primeira vez, como disse, não lembro me lembro muito dessa época, talvez fosse o fato dela ter seus problemas e de eu ter os meus, eram coisas totalmente diferentes, mas quando a dor é compartilhada ela parece menor.

  Ela foi como uma âncora na minha vida e nos meus problemas, e eu gosto de pensar que a ajudei a superar os seus, mesmo que um pouco. Passávamos as férias inteiras alternando entre ficar na casa uma da outra, aprontando coisas como tentar fazer um bolo de chocolate e quase fazer a mãe dela desmaiar quando chegou na cozinha, ou dançar a noite inteira no quarto como se fossemos duas adolescentes de um filme americano.

  Eu me lembro até hoje quando uma conhecida da minha mãe disse: “eu também era assim com a minha prima, agora nem nos falamos mais.”. Confesso que fiquei morrendo de medo quando ouvi aquilo, mas realmente acreditava que a nossa amizade era mais.

  Já brigamos muitas vezes por motivos que, quando paramos para pensar, parecem idiotas demais para serem levados em consideração, mas nunca conseguíamos ficar bravas por muito tempo, uma sempre cedia.

  Hoje, não nos vemos mais com tanta frequência, também não nos falamos o tempo todo. Mas, ela é uma das poucas pessoas para quem eu digo “eu te amo”, ela é uma pessoa que eu sei que mesmo que fiquemos uma semana sem nos falar ou um ano sem nos ver, o amor continua intacto e do mesmo jeito que era antigamente.

  Eu dei a ela um colar com meio coração em um amigo secreto anos atrás, nele está escrito “melhores amigas” porque eu não encontrei um que estivesse escrito “melhor irmã do mundo”.

Bia, te amo

  Essa crônica é o começo de um projeto que estou fazendo em parceria com a minha amiga Tawani, a cada duas semanas em uma sexta feira (sempre que possível), postaremos um conto ou crônica sobre um tema que escolhermos. O tema dessa semana foi Amizade, não se esqueçam de ver também a crônica da Taw aqui, está muito boa!
  Desculpem o atraso, era para ter saído sexta passada, espero que tenham gostado, me contem a opinião de vocês e, caso tenham sugestões para temas, deixem nos comentários

2 comentários:

  1. Só posso dizer que tocou meu coracao numa ferida que já tá meio antiga. Voce escreveu muito bem, e soube contar uma história que é bem parecida com a da minha vida, só que o desfecho não foi tão agradavel assim, mas não convém falar de coisa triste em um post tão cheio de vida e amor! Gostei muitíssimo da cronica Lu, mal vejo a hora da próxima ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um pena o que tenha acontecido com você Taw :(
      Mas eu fico feliz em saber que você gostou do texto, vindo de você tem um valor muito grande ♥

      Excluir

Tecnologia do Blogger.