O que eu ando assistindo: Fuller House

05 maio 2016

Olá docinhos, tudo bem com vocês?


  Ainda estou pouco acostumada a trazer resenhas de séries para vocês, talvez porque eu não assista tantas assim, mas cá estamos e dessa vez vamos falar de um remake original da Netflix, Fuller House (ou popularmente conhecido como Três é Demais).

Mini Sinopse:

  As aventuras da família Tanner continuam. Agora, DJ divide a casa com sua irmã Stephanie e sua amiga Kimmy, que dão uma super força com os três filhos dela. *informações retiradas do próprio Netflix.

Minha Opinião:

  Quando eu era pequena, era daquelas que acordava cedo nos domingos e caminhava até a sala da casa dos meus avós enrolada em um cobertor para assistir os desenhos matinais. Três é Demais eu assistia durante o almoço pois passava a tarde e, com certeza, era uma das minha favoritas.

  A primeira vez que me deparei com o trailer do remake foi no Facebook, já tive aquela reação de “meu Deus, eu preciso muito assistir isso!” fui ver e já estava disponível no Netflix, assisti o primeiro episódio quase que na mesma hora.

  No momento que eu fui assistir ao primeiro episódio, percebi que os três protagonistas da série original não seriam os protagonistas do remake, isso fez com que eu “largasse” a série de mão achando que somente com a DJ, Stephanie, Kimmy e as crianças (três filhos da DJ e a filha da Kimmy) não iriam dar conta de manter a série tão boa quanto era na minha infância.
Kimmy, Stephanie, DJ e o pequeno Tommy
  Permaneci um tempo com a série parada no primeiro episódio, até que, uma noite, eu resolvi dar uma chance real à série e passei a assistir seriamente.

  Devo dizer que essa foi uma das noites que eu fui dormir quando já era dia, pois eu simplesmente dizia “só mais um episódio” e assim foi a temporada inteira! Não tenho outra palavra para descrever que não seja maravilhosa, as meninas conseguiram carregar a série com maestria ainda mantendo as piadas que me faziam rir quando era criança e com uma pitada de piadas adultas para satisfazer quem já cresceu.


Todos do elenco original + elenco novo
  Os antigos protagonistas aparecem em alguns episódios como participações especiais e acrescentam um pouco mais de magia ao enredo e à nostalgia que sentimos a cada episódio. Conseguiram manter a essência das personagens sem que ficasse algo forçado ou infantil demais.

  Dentre todos os antigos personagens, a única (ou as únicas) que não deu as caras na nova série é a Michelle Tanner que era interpretada pelas gêmeas Olsen, elas alegaram que fazia muito tempo que não atuavam e não se sentiriam bem voltando, ambas são designers de moda em Nova Iorque (o que rende algumas piadinhas/alfinetadas durante alguns episódios da série).

  Por ultimo, eu queria chamar atenção para o pequeno Max Fuller (interpretado pelo ator Elias Harger) o filho da DJ, simplesmente porque ele, além de fofo, e inteligente, é um ótimo ator apesar da idade! Sabe aquele que você se apega? Então, com certeza você vai se apegar à ele!
DJ e Max
  A série conta até o momento, apenas com a 1ª temporada e uma Luana aguardando ansiosamente pela continuação! Lembrando que, por ser uma série original da Netflix, ela não está disponível em outros locais (bom, até está, mas vocês me entenderam).


  Então docinhos, o que acharam da resenha? Já assistiram Fuller House? Não deixem de me contar!

2 comentários:

  1. Que bacana, eu não conhecia esse remaker de Três é Demais, eu também amava quando criança. Vou lá no Netflix procurar essa versão atual pra assistir.
    Beijos
    www.infinitafeminice.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode ir assistir sim que você não vai se arrepender Natalia! Obrigada pela visita ♥♥

      Excluir

Tecnologia do Blogger.