Minha Leitura: Caixa de Pássaros, Josh Malerman

14 março 2016

Olá docinhos, tudo bem com vocês?


  Hoje estamos com mais uma resenha de livro, lembram que eu prometi que traria mais para vocês?

  Pois aqui estamos! Desta vez é um livro de terror! Não costumo ler muitos livros de terror, mas esse estava me chamando desde a resenha que eu li!

  Nota para blogueiras (os): Às vezes, pensamos que o que escrevemos não causa efeito nenhum sobre nossos leitores, não é? Pois hoje eu estou como prova de que não é verdade. Foi graças a resenha da Borboleta Rabiscada que eu comprei esse livro, por isso, meus agradecimentos a ela!

Sinopse:

  Basta uma olhadela para desencadear um impulso violento e incontrolável que acabará em suicídio. Ninguém é imune e ninguém sabe o que provoca essa reação nas pessoas. Cinco anos depois do surto ter começado, restaram poucos sobreviventes, entre eles Malorie e dois filhos pequenos. Ela sonha em fugir para um local onde a família possa ficar em segurança, mas a viagem que tem pela frente é assustadora - uma decisão errada e eles morrerão. 

Minha Leitura:

  Por já ter lido uma resenha sobre ele antes de ter comprado, eu já o comecei numa ansiedade muito grande, porém, como eu disse na última resenha, não queria me despedir de Anne Frank, por isso ele teve de aguardar ansiosamente a sua vez na prateleira.

  Para compensar, a partir do momento que eu comecei a lê-lo, eu o terminei em apenas dois dias, ele simplesmente é aquele típico que te prende de tal maneira que você não consegue fazer outra coisa nem pensar em fazer algo que não seja terminar logo e descobrir o que acontece.

  Por ser um romance de estreia do autor, creio eu que as pessoas possam ter um pouco de receio antes de ler, julgando a capacidade pelo fato de ser novo no ramo, mas eu posso garantir que é uma das surpresas mais gostosas de se ter ao descobrir que, realmente ... tem talento!

  Um pequeno spoiler que eu posso dar a vocês (não vai alterar em nada, pelo contrário, vai dar mais vontade de ler) é que, na maioria das vezes, a narração não conta com o dom da visão, já que os personagens passam a maior parte do tempo vendados, e isso apenas aumenta a expectativa que sentimos. Já que, se a pessoa não vê, ela imagina, e você imagina a imaginação dela! (ficou confuso, mas faz sentido) E nos momentos de tensão parece que esse fato deixa tudo mais emocionante, ao ponto de você ter aquele sentimento de “preciso parar e respirar antes de continuar”.

  A narração do livro se passa em dois períodos de tempo: Na casa com o grupo de pessoas e 4 anos depois, com a Garota e o Menino (único modo a qual ela se refere aos filhos). E o tempo todo você fica imaginando o que aconteceu nesse período de tempo e, eu posso lhe assegurar, você não vai conseguir prever a história.

  Além da ameaça iminente, a sua imaginação tentando descobrir o que aconteceu e você tentando imaginar quem ou o que é a tal ameaça gigantesca que faz com que as pessoas se suicidem apenas pelo fato de abrir os olhos. Há também o dilema que Malorie vive em relação aos filhos, como eles não puderam crescer "normalmente" como uma criança deveria em um mundo normal, o tempo todo ela se questiona se é uma boa mãe e se está fazendo a coisa certa, pessoalmente, eu acho que não teria outro modo de cria-los, já que ela fez desse modo para garantir que sobreviveriam.

  A narrativa é bem objetiva, daquele tipo que não fica enrolando muito para contar algo ou coisa do gênero, até mesmo quando está descrevendo a casa ou as partes em que as pessoas estão enxergando é sem muitos detalhes, porém, eu garanto que o autor soube ser detalhista o suficiente para fazer com que você imagine muitas cenas sangrentas que acontecem.

  É realmente um livro que eu não tenho do que me queixar, é muito bom, muito envolvente, assustador, daquele que, quando você já está acabando, se pergunta se há páginas o suficiente para dar um fim decente. E, depois de terminar, o ritual de abrir e fechar os olhos nunca mais é o mesmo.
(Dedicatória do livro, achei tão bonitinha que não pude deixar de fora!)

  E vocês? Suportariam a realidade de ter que viver vendados porque um só olhar pode significar o seu fim? Não deixem de me contar!

2 comentários:

  1. Sempre vejo esse livro por aí, e não fazia ideia de que ele era assim tão bom quanto você diz. Vou baixar ele aqui :D Pse, a pé rapado aqui não tem dinheiro e muito menos espaço para comprar livros ahahuehue :\
    Ótima resenha, bjão <3
    www.tobemzen.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Rafa!
      Ah que isso, aquele foi o último que eu comprei por um boom tempo porque olha, não tá fácil pra amiga aqui também haha'
      Mas leia sim! Eu garanto que você não vai se arrepender!

      Excluir

Tecnologia do Blogger.