Resenha: O Jogo do Anjo – Carlos Ruiz Zafón

30 junho 2014

Olá docinhos, tudo bem com vocês?

Demorou muito para mais uma resenha de livro, a primeira foi Bruxos e Bruxas Volume 1, e o motivo dessa demora foi que eu ainda estava lendo As Crônicas de Gelo e Fogo, mas finalmente acabei todos os 5 e então pude dar uma variada no gênero que iria ler.

Desta vez, escolhi O Jogo do Anjo, um livro de mistério que eu tinha ganhado a algum tempo da minha sogra e não via a hora de começar a ler!
O livro se passa nos anos 20 em Barcelona, na Espanha e conta a história de um jovem escritor chamado David Martín.

Sinopse:

David Martín nasceu em Barcelona, no primeiro ano do século XX e logo começou a tomar golpes da vida, Seu pai, segurança do jornal La Voz de La Indústria, morreu assassinado na porta da redação quando David era criança. O jeito para a escrita logo se manifestou, mas as oportunidades nunca estiveram à altura do potencial do rapaz. E seu grande amor, Cristina, foi parar nos braços de seu amigo e protetor, Pedro Vidal, herdeiro do jornal e o homem a quem era destinado o tiro que matou o velho Martín.

Aos 28 anos, cínico, habituado a vender barato seu talento, vivendo sozinho num lúgubre casarão em ruínas, David se descobre doente. Tem poucos meses pela frente. É quando surge em sua vida Andreas Corelli, um estrangeiro que se diz editor de livros. Sua origem é um mistério, mas sua fala é mansa e sedutora. Ele promete a David muito dinheiro e sua proximidade parece, de forma inexplicável, devolver a saúde ao escritor.

Em troca, Corelli não pede pouco: sua encomenda é um livro com potencial de influenciar milhões de vidas. O dilema de David, ao questionar os motivos do soturno editor, é saber se o custo de seu trabalho não será muito maior do que ele imagina.

O Jogo do Anjo é uma história de suspense, amor e fé que explora novos ângulos da mesma Barcelona de A Sombra do Vento.

E também alguns locais já familiares, como a livraria Sempere e Filhos e o Cemitério dos Livros Esquecidos.

Minha Opinião:


O livro tem uma boa narrativa em primeira pessoa, rica em detalhes e com uma mistura curiosa entre palavras consideradas “difíceis” que geralmente são colocadas para engrandecer uma narração, e expressões como “bobajadas” que, geralmente, são pouco convencionais.
Para as pessoas que começam a ler o livro na esperança de que ele seja repleto de coisas clichês como ele começar a escrever seus livros e descobrir “a iluminação” da felicidade e da fortuna, se casar e ter muitos filhos correndo pela frigida casa da torre em que ele mora, não vão encontrar exatamente o que procuram. 
O Jogo do Anjo, na verdade é uma espécie de continuação do livro A Sombra do Vento, porém a história do Jogo do Anjo se passa antes de A Sombra do Vento, não sendo necessário ter lido um para ler o outro pois são tramas “independentes”, o que para mim foi um alivio visto que eu já tinha começado a ler e ainda não tenho o primeiro livro (se alguém quiser me dar, estou aceitando).
Conforme o livro se desenrola, ele fica cada vez mais interessante, pois apesar de sempre ter certeza das coisas estarem acontecendo somente na mente do principal, o autor faz questão de sempre deixar um fato provando que ao menos uma parte é verdadeira, cabendo a cada um interpretar da forma que quiser.
Em minha opinião, é um livro que realmente merece ser lido e apreciado, pois além de ser muito intrigante, ele também fala do valor que cada livro tem. Como diz o Senhor Sempere, cada livro guarda a alma de quem o escreveu, e a alma daquele que se deixa levar em sua leitura.

Espero que tenham gostado da resenha docinhos, em breve terá mais!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.